Espasmo muscular o que é e como tratar

Espasmo muscular funciona como uma resposta natural ao esforço excessivo dos músculos, à dor ou à fadiga.

Praticantes de musculação e esportes em geral costumam sofrer com espasmos e câimbras.

Entretanto existem casos em que o espasmo pode significar algo mais grave, como problemas neurológicos por exemplo.

Nesse artigo vamos desvendar os mistérios do espasmo muscular que tanto atrapalha os treinos.

E claro, vamos aprender como preveni-lo.

O que é o espasmo muscular?

Espasmo muscular é uma contração súbita e involuntária de um ou mais músculos, que traz como conseqüência uma forte dor juntamente com uma contração anormal. Um espasmo muscular pode ocorrer em vários músculos como pequenos músculos das mãos de um músico ou em músculos maiores como na panturrilha de um corredor por exemplo.

Dessa forma, uma lesão muscular ou o uso excessivo de um determinado músculo pode desencadear o espasmo muscular.

Assim, uma das causas mais comuns de sua ocorrência esta na falta de alongamento ou aquecimento antes da atividade física.

Principais tipos de espasmo muscular

 

câimbra é espasmo

 

Ha diversas formas e tipos de espasmo muscular, que podem afetar diferentes tipos de músculos no corpo.

Espasmo dos músculos esqueléticos

Espasmo dos músculos esqueléticos são o tipo mais comum normalmente causado pela fadiga muscular e desidratação.

Músculos esqueléticos são apoiados no osso, em alguns casos, por meio de um tendão.

Comumente o cérebro controla esses músculo, que são dotados de fibras musculares e grandes quantidades de mioglobina, responsável pelo transporte de oxigênio.

Desse modo, a contração de um músculo esquelético requer inúmeros passos dentro das fibras celulares.

Assim, o uso excessivo é uma das principais causas de espasmo em músculos esqueléticos.

Atletas praticantes de atividades físicas exaustivas em ambientes quentes estão mais propícios a sofrer espasmos.

 

Espasmos dos músculos lisos

Espasmos dos músculos lisos, localizados dentro de órgãos ocos como cólon, também podem ocorrer trazendo dores intensas. Ex: Cólicas menstruais, diarreia, dor na vesícula, etc.

Diferente do músculo esquelético, músculos lisos são involuntários e controlados pela parte inconsciente do cérebro.

Entretanto esses músculos também podem entrar em espasmo

Quando uma estrutura oca cheia de ar ou fluído é comprimida pelo espasmo muscular, a dor será intensa pois fluidos e ar não podem ser comprimidos.

 

Distonia muscular

As distonias musculares são distúrbios do movimento onde grupos de músculos se contraem fortemente provocando torções.

De fato que as principais causas de distonias são movimentos repetitivos descontrolados, além de falta de capacidade de manutenção postural normal.

Elas começam de maneira branda, mas podem se tornar mais violentas e frequentes com o passar do tempo

Distonia muscular é um tipo de espasmo que pode envolver o eixo corporal sendo comumente iniciado por um movimento voluntário, ou pela permanência de muito tempo na mesma posição, como torcicolo por exemplo.

 

Quais as principais causas do espasmo muscular?

Comumente um espasmo muscular ocorre quando um músculo é usado excessivamente ou quando já esta cansado ou lesionado.

Dessa forma, o espasmo pode ocorrer  com a sobrecarga do músculo ou quando  ele é mantido em uma mesma posição por muito tempo.

Assim sendo,  a célula muscular fica sem energia tornando-se hiperexcitável, resultando em uma contração involuntária.

Essas contrações também conhecidas como fasciculação muscular podem durar alguns minutos ou podem ser recorrentes.

Normalmente são contrações momentâneas de algumas fibras musculares de algum grande músculo em uma área servida por uma fibra nervosa.

Frequentemente envolvem a pálpebra, panturrilha, coxa ou polegar, podendo estar relacionadas também a estresse, ansiedade ou ingestão de estimulantes como a cafeína.

Existem alguns fatores que potencializam a ocorrência de espasmo muscular.

Esse risco difere de acordo com o histórico médico da pessoa, ocupação e nível de esforço físico.

Os principais fatores que influenciam diretamente na ocorrência de espasmo muscular são:

– Trabalho pesado em locais quentes e abafados como fábricas e construções potencializam a ocorrência de espasmo pelo risco de desidratação;

– Pessoas com histórico de doenças arteriais podem sofrer com câimbras nas pernas, inclusive câimbras noturnas;

– Pessoas com distúrbios neurológicos correm risco de desenvolverem espasmos musculares.

 

Como tratar?    

Como vimos, espasmos musculares comumente ocorrem pela desidratação.

Portanto para evitar um espasmo muscular ou uma câimbra é necessário que as células musculares estejam devidamente abastecidas com água , glicose, sódio, potássio, cálcio e magnésio de modo suficiente para permitir às proteínas dentro dos músculos desenvolvam uma contração de maneira organizada.

Doenças arteriais também levam à espasmos e câimbras também pela falta de nutrientes no sangue.

De fato que doenças arteriais podem diminuir o fluxo de sangue nas pernas, causando espasmo muscular.

Entretanto câimbras noturnas estão mais associadas à distúrbios do sono sendo que uma causa precisa ainda não foi encontrada.

Dessa forma a prevenção é a chave para o tratamento de um espasmo muscular.

Além de manter a hidratação em dia juntamente com os eletrólitos mencionados, preparar os músculos antes de atividades físicas é importante.

Então, da mesma forma que atletas se alongam antes da prática de esportes, os não atletas devem se aquecer antes do trabalho pesado.

A realização de alongamentos também são fundamentais para prevenção do espasmo muscular.

O tratamento inicial para um músculo esquelético em espasmo é esticá-lo a fim de quebrar o ciclo do espasmo.

Já o tratamento para um músculo liso como espasmo intestinal, irá depender de um diagnóstico mais completo.

Vitaminas do complexo B  também costumam ser eficazes nos tratamentos de espasmos e câimbras.

O consumo de bananas, ricas em potássio, também pode ajudar na prevenção.

Veja também

Banana e Musculação

5 dicas para fazer um bom alongamento

 

Câimbras também são espasmos?

Sim, aquela dor insuportável ocasionada por uma câimbra também é um tipo de espasmo muscular.

Essa dor ocorre pela contração muscular súbita ou então pelo encurtamento das fibras musculares.

Dentre as causas mais comuns das câimbras são as desequilíbrios eletrolíticos por excesso de esforço, desidratação ou mudanças bruscas de temperatura.

Em resumo, desequilíbrio eletrolítico nada mais é do que a perda de grandes quantidades de líquidos e eletrólitos.

Dessa forma, a desidratação ou ausência de eletrólitos corporais podem desencadear câimbras ou espasmo muscular.

Os eletrólitos mais comuns são o cálcio, sódio, potássio, magnésio dentre outros.

Sendo assim, a melhor maneira de tratar esses espasmos é descanso e reidratação imediata.

 

Como identificar os sintomas de um espasmo muscular?

Os sintomas de um espasmo muscular variam de músculo para músculo e também dos fatos que o causaram.

De modo geral, um espasmo ocorre no músculo que esta trabalhando excessivamente no momento em que ocorre.

Apesar de o espasmo se resolver de maneira espontânea, ele pode demorar alguns dolorosos minutos.

De fato que a área onde ele esta ocorrendo fica rígida podendo inclusive ser notada de maneira visível por sobre a pele.

Dessa forma, ao fazer um alongamento da área é possível sentir um alívio juntamente com a resolução do espasmo muscular.

Entretanto espasmos musculares podem estar associados a distúrbios neurológicos como distrofia muscular, esclerose lateral amiotrófica e miopatia.

No caso dessas doenças, o surgimento de fraqueza, perda de massa muscular e alterações de sensibilidade são os sintomas mais comuns.

E você, sofre com espasmo muscular?

Compartilhe com a gente sua experiência…

Avalie este artigo:
Fechar Menu